Redação Afya - set 30, 2020

Medicina humanizada: o que é e qual a importância?

De acordo com a pesquisa desenvolvida pela Doctoralia (uma plataforma de agendamento virtual de consultas), no Brasil, 63% das pessoas procuram pelo critério de “abordagem humana’’ em um atendimento. O estudo ouviu mais de 3,5 milhões de opiniões de usuários com a finalidade de entender os critérios que o paciente 4.0 usa para a escolha do médico.

E você? Será que já conhece a Medicina Humanizada, que tem como foco o atendimento humanizado? Continue a leitura para entender melhor o que significa esse conceito e qual a sua importância!

O que é a Medicina Humanizada?

A medicina humanizada consiste em um conjunto de práticas que tem como finalidade trazer acolhimento e segurança aos pacientes por meio de um atendimento mais humano, gentil e empático. Esse atendimento engloba desde a recepção até a consulta e o tratamento de possíveis enfermidades. O termo também envolve eficácia e resolutividade na assistência.

O conceito de humanização da medicina foi implantando no Brasil há mais de 20 anos e seu objetivo envolvia uma mudança de perspectiva: deixar de resumir o paciente a uma doença, passando a enxergá-lo como um ser humano, com sentimentos, inseguranças e aflições.

Qual a sua importância?

Em primeiro lugar, é inegável que medicina humanizada proporciona aos pacientes uma experiência muito mais acolhedora, sensível e humana em um momento delicado. Isso faz toda a diferença. Mais satisfeito, o paciente acaba se abrindo mais para a relação com seu médico, o que, muitas vezes, favorece diagnósticos e tratamentos assertivos.

Além disso, recebido com gentileza e explicações detalhadas, ele passa a entender melhor a importância de se tratar e, provavelmente, seguirá de forma mais persistente e motivada as orientações que lhes foram passadas.

Um paciente feliz e que recebe um tratamento adequado, recomenda o clínica/hospital em que se tratou para seus familiares e amigos, o que para os médicos e funcionários é uma grande vantagem. Nesse sentido, a medicina humanizada funciona como uma troca benéfica para ambas as partes envolvidas.

Como colocá-la em prática?

É importante lembrar que esse conceito vale não apenas para os médicos, mas para todos os profissionais que têm contato com o paciente durante a sua jornada em um hospital, posto de saúde ou clínica.

Todas as fases de um atendimento são fundamentais para construir uma experiência agradável. Conheça algumas maneiras de ajudar a garantir um atendimento mais humanizado:

Ser gentil em todas as etapas

Gentileza na recepção do paciente e preocupação/interesse para marcar as suas consultas são exemplos de etapas que constituem um atendimento humanizado fora dos consultórios. Ajudar o paciente a otimizar tempo, por exemplo, marcando duas consultas em um mesmo dia (oportuno para ele) é um exemplo de como demonstrar essas qualidades.

Colocar-se à disposição

Essa é uma forma do profissional de saúde demonstrar zelo e cuidado com seu paciente, mostrando se importar com ele. Colocar-se à disposição para consultas de retorno e, dependendo do caso, disponibilizar algum contato corporativo, por exemplo, são formas de praticar este tópico.

Abraçar a singularidade

Para o exercício da medicina humanizada, é importante lembrar que nem todos os pacientes são iguais: eles se comportam e reagem de formas diferentes durante momentos delicados. Alguns podem precisar de mais atenção e paciência, outros nem tanto. O importante é que os diversos profissionais que entram em contato com eles estejam preparados e dispostos para lidar de forma particular com os diferentes perfis de pessoas.

Ter empatia e paciência

Os profissionais da área de saúde precisam se atentar ao fato de que muitos dos pacientes estão fragilizados e vivendo momentos de tensão, logo, é difícil absorver certas informações. Por isso a empatia é fundamental para a construção de um bom relacionamento entre paciente e médico.

É preciso, além de ter paciência para responder dúvidas e repetir explicações, ser didático durante os esclarecimentos necessários e, claro, ter tato ao comunicar um diagnóstico.


Usar linguagens democráticas

É claro que, por vezes, o médico precisará mencionar alguns termos técnicos durante as consultas. Porém, é importante que, sempre que possível, ele substitua-os por outros mais usuais e de fácil entendimento pelos pacientes leigos. Isso favorecerá a compreensão por parte deles e os deixará mais por dentro do que está acontecendo, o que poderá diminuir sua ansiedade.

Explicar os porquês

Quando os médicos discorrem sobre os porquês dos tratamentos e terapias, como a explicação para o uso de certo tipo de medicamento, a situação torna-se bem mais assimilável para o paciente. Dessa forma, ele se sente mais motivado para respeitar as orientações e direcionamentos que lhes forem transmitidos.

Como você pôde perceber, a medicina humanizada é de total importância para proporcionar uma experiência agradável ao paciente. Gostou de conhecer mais sobre essa prática e tem interesse ingressar área médica? Veja também como escolher a faculdade de Medicina!

 

Escrito por Redação Afya

    Banner_BlogMed